2016 foi o pior ano: Os 50 países que mais perseguem os cristãos

Nos últimos 3 anos a moderna perseguição aos cristãos atingiu mais um recorde. Mas a principal causa, o extremismo islâmico, agora tem um rival forte, o nacionalismo étnico. Sendo assim, o continente asiático está cada vez mais preocupante ao lado do Oriente Médio, segundo, 2017 World Watch List (WWL) released today by Open Doors.

A agência “Open Doors” tem analisado a perseguição aos cristãos nos últimos 25 anos. A lista, que sai anualmente, tem examinado a perseguição em 5 esferas da vida de um cristão, privada, familiar, comunitária, nacional e da igreja, além dos níveis de violência praticados por motivos religiosos. Toda essa análise é feita para listar os 50 países mais problemáticos para os cristãos.

Em 25 anos acompanhando a liberdade religiosa ao redor do mundo os pesquisadores do “Open Doors” dizem que, sem sombra de dúvidas, 2016 foi o pior ano para os cristãos. A perseguição aumentou globalmente pelo terceiro ano consecutivo. “Os países do Sul e do Sudeste Asiático subiram rapidamente para níveis sem precedentes e agora estão entre áreas tão violentas como o Oriente Médio e a África Subsaariana”, dizem os pesquisadores.

As descobertas e tendências observada pela “Open Doors” são alarmantes:

  • Aproximadamente 215 milhões de cristãos sofrem perseguição considerado alta, muito alta ou extrema.
  • A Coréia do Norte continua a ser o lugar mais perigoso para ser cristão por 14 anos consecutivos.
  • O extremismo islâmico continua a ser, globalmente, a causa principal da perseguição, ele foi responsável por iniciar a opressão e o conflito em 35 dos 50 países da lista de 2017.
  • O nacionalismo étnico está rapidamente se tornando a grande causa da perseguição.
  • O número total de perseguição nos 50 países mais perigosos aumentou, revelando que é uma tendência crescente.
  • As matanças de cristãos na Nigéria aumentaram em mais de 62%.
  • 23 líderes cristãos no México e quatro na Colômbia foram mortos especificamente por sua fé”, disse “Open Doors”.
  • O pior aumento foi Mali, que subiu na lista de 44 para 32.
  • A Ásia é um novo centro de preocupação, com a perseguição aumentando acentuadamente em Bangladesh, Laos e Butão, e o Sri Lanka se junta à lista pela primeira vez.
  • Image processed by CodeCarvings Piczard ### FREE Community Edition ### on 2017-01-11 15:15:47Z | http://piczard.com | http://codecarvings.com

A agência notou que a Índia nunca esteve tão alta na lista, está na posição 15. “Um média de 40 incidentes por mês são relatados pelos cristãos, incluindo pastores espancados, igrejas queimadas e cristãos assediados”, afirmou Open Doors. “Dos 64 milhões de cristãos na Índia, aproximadamente 39 milhões sofrem perseguição direta”.

Na Ásia Central, a perseguição aumentou devido as tentativas do governo de frear o extremismo islâmico. “A estratégia usada por muitas denominações, de infiltrar famílias cristãs em certos países, está sendo cada vez mais proibida pelos governos, e certos livros cristãos estão sendo proibidos, segundo a Open Doors. “A exigência para se ter uma igreja no local aumentou e muitas igrejas se tornaram ilegais”.

Segue a lista das 10 nações mais perigosas para a prática do cristianismo em 2016.

  1. Coréia do Norte.
  2. Somália.
  3. Afeganistão.
  4. Paquistão.
  5. Sudão.
  6. Síria.
  7. Iraque
  8. Irã.
  9. Iêmen.
  10. Eritreia

Segue a lista das 10 nações mais perigosas para a prática do cristianismo nos últimos 25 anos:

  1. Coréia do Norte.
  2. Arábia Saudita
  3. Irã.
  4. Somália.
  5. Afeganistão.
  6. Maldivas
  7. Iêmen.
  8. Sudão.
  9. Vietnã.
  10. China.
Image processed by CodeCarvings Piczard ### FREE Community Edition ### on 2017-01-11 05:01:56Z | http://piczard.com | http://codecarvings.comÙöû:ÒW:‘

A lista anual é auditada pelo Instituto internacional para a Liberdade Religiosa.

Segue o link dos anos anteriores:  2016, 2015, 2014, 2013, and 2012, incluindo uma lista de onde é mais difícil crer em Deus.

Oremos por cada um deles e agradecemos a Deus por termos liberdade de adorá-lo.

Rodrigo Bertotti acredita que a igreja local é a mais importante organização do planeta, e está ajudando a transformá-la num lugar onde todos amam estar. Como líder e pastor trabalha na Igreja Adventista no sul da Suíça. É um estudante de liderança, comunicação, igreja e fé, e compartilha suas ideias na igreja, no blog e em suas redes sociais. www.rodrigobertotti.com

Site Footer